sábado, 31 de março de 2012

Domingo de Ramos ~ O Triunfo do Encontro!

O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, e com o ato de levarmos os ramos para casa nos lembra que estamos unidos a Cristo na sua causa, no despertar da nossa consciência enquanto humanidade.
Esse ato nos faz relembrar que somos peregrinos neste mundo e que a Fonte é o lugar de onde viemos e para onde devemos voltar. 

No momento da entrada de Jesus em Jerusalém, cidade importante, sede dos poderes políticos e religiosos do judaísmo, Jesus foi acolhido pelo povo em procissão. Toda pessoa importante era acolhida com imponência nas cidades maiores: imperadores, reis, senadores, patriarcas. Ainda hoje é assim. Os reis eram acolhidos por cavalgadas reais, mas Jesus entrou em Jerusalém montado num jumento, uma montaria nada majestosa. Entrou pela porta dos fundos, como um serviçal, sinal de que seu reinado era diferente.

Lucas em seu evangelho não fala de ramos de oliveiras nem de palmas, mas de pessoas que iam acarpetando o caminho com suas roupas, como se recebe a um Rei, gente que gritava: "Bendito o que vem como Rei em nome do Senhor. Paz no céu e glória nas alturas".Palavras com uma estranha evocação semelhante as que anunciaram o nascimento do Senhor em Belém aos mais humildes. 

Jerusalém, desde o século IV, no esplendor de sua vida litúrgica celebrava este momento com uma numerosa procissão. E isto agradou tanto aos peregrinos que o oriente deixou marcada esta procissão de ramos como umas das mais belas celebrações da Semana Santa.

Com a litiurgia de Roma, entramos na Paixão e antecipamos a proclamação do mistério, com um grande contraste entre o caminho triunfante do Cristo no Domingo de Ramos e o "via crucis" dos dias santos.

A Missa do Domingo de Ramos traz a narrativa de Lucas sobre a Paixão de Jesus: Sua angústia mortal no Horto das Oliveiras, o Sangue vertido com o suor, o beijo traiçoeiro de Judas, a prisão, os maus-tratos nas mãos dos soldados; Seu julgamento diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, Sua condenação, o povo a vociferar “crucifica-o, crucifica-o”; as chicotadas, as humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, a ajuda do homem cirineu, o consolo das mulheres, a cruz, o diálogo d’Ele com o bom ladrão, Sua morte e sepultamento. Esta relembrança dos passos de Jesus nos convida a reflexão e meditação sobre os nossos passos rumo ao triunfante encontro com a centelha divina que nos anima, a nossa verdadeira ressurreição nesta encarnação.


Confira no vídeo abaixo uma entrevista atualíssima de Leonardo Boff no programa Roda Viva de 1997, que mexe, remexe e nos tira da zona de conforto em relação as nossas crenças, hábitos de pensamento/sentimento e nos convida a celebrar com ramos, cânticos e alegria o verdadeiro encontro com o D´us que nos habita.




quinta-feira, 29 de março de 2012

DEIXAR IR...

Mensagem de Yeshua em 21 de março de 2012 
Como canalizado através de Fran Zepeda 

Os modos do mundo estão mudando, queridos. 
Apertem os cintos.
Vocês estão para experimentar o que nunca experimentaram em todas as suas vidas, desde o começo de suas almas nesta experiência 3D. 
O que vocês aprenderam através de todas estas experiências 3D? 
Esta realmente é a pergunta para ponderar, pois assim que vocês souberem estarão livres para deixar ir e avançar com a riqueza que vocês ganharam por viver estas experiências. 
Peguem o presente e avancem
Que dia glorioso os espera ao entrarem nesta Nova Terra armados com os braços cheios destes presentes, deixando para trás a dor e o sofrimento que vieram com a aprendizagem

Há Luz linda, Luz luminescente que vem dessas joias que vocês levam com vocês nesta nova era. 
Vocês transmutaram muitas, muitas experiências na preparação da sua felicidade, queridos. 
Peguem e olhem estes presentes. 
Eles são seus para sempre e vocês os estarão compartilhando com tantos outros com que vocês se reunirem e compartilharem seu amor e conhecimento com todos os ouvidos e corações à espera. 
Tempo de arregaçar suas mangas, queridos amigos, e de se aventurar nesta Nova Terra de Abundância, com muito Amor, muito Perdão, muita Compaixão, muita Luz, muita Prosperidade e muitos momentos do Agora significativos. 
Acolham, queridos ~ Acolham e Desfrutem! 
Todos vocês chegaram tão longe. 
Todos vocês deveriam ser elogiados por sua força e coragem na travessia deste caminho difícil para a 5ª Dimensão, para os Portões do Tudo Que É. 
Parabéns e continuem. 
Vocês têm um longo caminho a percorrer e mais para deixar ir.
A frase do dia é “Deixar Ir”queridos. Deixem Ir! 
Deixem Ir quaisquer mágoas, rancores, remorsos e dor remanescentes que os estão privando da verdadeira Felicidade. 
Examinem o que está em sua vida que vocês ainda precisam deixar ir. 
O que é necessário para concluir as experiências de forma que elas rendam o presente da lição? 
O que vocês ainda precisam deixar ir? 
Ponderem isto e envolvam com sua Luz gloriosa e vocês emergirão vitoriosos na Nova Terra e na 5ª Dimensão limpos e purificados e prontos para a gloriosa expansão e Alegria. 
Nós lhes prometemos isto! 
Seu irmão amoroso, 

Yeshua. 




quinta-feira, 22 de março de 2012

Alucinação por Transtorno Mental ou Processo Obsessivo Espiritual?


A Folha Espírita (2004) transcreve entrevista da Dra. Marlene Nobre, médica e Presidente da AME-Brasil e da AME-Internacional à revista Psychic World e realiza entrevista com o Dr. Sérgio Felipe Oliveira (AME-SP), médico psiquiatra.
Psychic World – Dra. Marlene, gostaria de colocar uma questão crucial para você, sobre o que é comumente chamado de esquizofrenia. Hoje, quando alguém ouve vozes é tido como esquizofrênico, recebe fortes sedativos e, freqüentemente, é internado em hospitais de unidades psiquiátricas, registrado como mentalmente instável. Uma definição praticamente irreversível e para o resto de sua vida. De fato, freqüentemente, não o é de verdade e não recebe tratamento… mas recebe, por períodos indefinidos, sedativos que fazem estragos. Acho isso uma situação intolerável… O que você me diz sobre isso?
Marlene Nobre – Bem, o que ocorre, infelizmente, no curso médico, na prática médica, é algo que realmente não se compreende muito bem.  Por quê? Porque a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que saúde é o estado de completo bem-estar do ser humano integral: biológico, social, ecológico e espiritual. Então, saúde é definida pela OMS como sendo o equilíbrio entre fenômenos orgânicos, psíquicos, sociais e espirituais. No entanto, na prática, os médicos não consideram todos esses fenômenos, mas tão somente os orgânicos ou biológicos. Podemos perguntar, em qualquer país, o que ensinam as escolas de medicina e constataremos que os médicos não são alertados para os problemas psicológicos e espirituais do paciente, eles restringem-se às reações orgânicas, como se o ser humano fosse reduzido tão somente ao corpo físico. Embora o Código Internacional de Doenças (CID), que é conhecido no mundo todo, no número 10, questão F 44.3, contemple a existência dos estados de transe, fazendo a distinção entre os normais, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença, a maioria dos médicos não leva isso em consideração. No Tratado de Psiquiatria de Kaplan e Sadock, um dos mais consultados pelos psiquiatras, no capítulo dedicado ao estudo das personalidades, há também a distinção entre as personalidades que recebem a atuação de espíritos e as dos outros que são doentes. A Psiquiatria já faz, portanto, a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios. Isso, portanto, precisaria ser mais discutido com os colegas, principalmente, com aqueles que não consideram a possibilidade de comunicação dos espíritos com os encarnados. Por quê? Porque já há a contemplação nos próprios compêndios da Medicina a respeito da possibilidade de comunicação dos espíritos. Outro aspecto também é a obra de Carl Gustav Jung, que estudou o caso de uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas. Desse modo, constatamos que já existe uma abertura para o estudo do espírito dentro do currículo da Psicologia e da própria Medicina. O que ocorre é que a preparação dos médicos ainda é extremamente reducionista e, com essa visão estreita, são levados a considerar apenas e tão somente os fenômenos orgânicos. Quanto ao exemplo referido por você, nós realmente nos constrangemos ou ficamos tristes com a conduta dos colegas que, habitualmente, rotulam todas as pessoas que dizem ouvir vozes como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas. Ficamos penalizados com uma situação como essa, porque existe uma porcentagem de pessoas que são consideradas psicóticas por ouvirem espíritos e que, na realidade, são médiuns. Cremos que, na História da Moléstia Atual do paciente, deveriam constar também, além dos sintomas orgânicos, os psicológicos e espirituais, a fim de que pudéssemos fazer a distinção, evitando, assim, que os médiuns sejam taxados de psicóticos para o resto de suas vidas. Muitos deles poderiam encontrar um caminho mais fácil para a cura, a partir do momento em que é diagnosticado um caso de obsessão ou de comunicação espirítica. Acredito que só quando tivermos uma Medicina que leva em consideração o ser integral, espírito/corpo, é que teremos possibilidade de abertura para entender quando se trata de um ou de outro caso.
PW – Para a quantidade de pessoas que começam a ouvir vozes, qual é o seu conselho?
Marlene – É difícil dizer, quando você está em outro país, onde não se conhece muito bem o procedimento, tanto do lado médico quanto espiritual. Mas é preciso ir, pouco a pouco, oferecendo material de estudo, livros, para que a população se informe também a respeito da obsessão, da possibilidade de se ouvir espíritos. Esse é um fenômeno corriqueiro, banal, comum a muitas pessoas. Então, à medida que a divulgação vai sendo feita, através de livros ou de palestras e cursos, há a possibilidade de se informar mais à população. E as famílias passam a conhecer mais o problema. Não é nada fácil, porque em um país como este que respeitamos tanto, de tantas tradições, de tanto progresso, o Espiritismo é praticamente ignorado, mas já há por parte de alguns médicos e psicólogos um entendimento do que seja a mediunidade, no caso mais específico, a obsessão. Talvez, então, fosse interessante que houvesse troca de impressões e de idéias entre o movimento espírita e os profissionais que já aceitam a mediunidade, de modo a oferecer aos obsedados os recursos terapêuticos espirituais indicados para esses casos.
Folha Espírita – Como distinguir alucinação por transtorno mental da que ocorre no processo obsessivo?
Sérgio Felipe de Oliveira – A obsessão espiritual oficialmente é conhecida em Medicina como possessão e estado de transe. O Código Internacional de Doenças – CID 10, item F 44.3 – qualifica estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio ambiente. Essa situação é considerada doença quando a pessoa não tem controle. Os casos em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença. A alucinação é um sintoma que pode surgir tanto no transtorno mental anímico, a partir de neuroses graves que marcam o subconsciente, quanto na interferência de fatores externos. Esses fatores externos podem ser químicos e orgânicos, como na ingestão de drogas ou nas desordens orgânicas – febre muito alta, uremia, desordens cerebrais, etc. – ou espirituais. A interferência de uma personalidade intrusa, a obsessão espiritual, pode desajustar a percepção da realidade levando a alucinações. A pessoa pode ter alucinações e ainda assim sustentar a crítica da razão – ela sabe que está alucinando ou pode perder a crítica da razão julgando ser verdadeira aquela falsa realidade. Um dia, um paciente mergulhou no rio Tietê diante da alucinação de que estaria numa bela praia. Nesse caso, temos o transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura. O médico deve inicialmente fazer o diagnóstico da condição orgânica para depois estabelecer diagnóstico diferencial entre o transtorno dissociativo por estado de transe ou possessão, de um caso de transtorno dissociativo psicótico. O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria – DSM IV – alerta que o clínico deve tomar cuidado para diagnosticar erradamente como alucinação ou psicose casos de pessoas de determinadas comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas porque isso pode não significar uma alucinação ou psicose. A distinção entre alucinação, clarividência ou clariaudiência é uma situação bastante complexa.
FE – Como distinguir esquizofrenia da obsessão?
Sérgio Felipe de Oliveira – Na verdade, temos de discriminar no diagnóstico qual o papel da obsessão espiritual na doença que a pessoa está vivendo, já que todo transtorno psicótico como a esquizofrenia possui o componente obsessivo-espiritual.
FE – É possível saber em que proporção o processo obsessivo permeia os transtornos psicóticos, como, por exemplo, no caso das esquizofrenias?
Sérgio Felipe de Oliveira – Nesse caso, a melhor forma é a prova terapêutica. Uma vez acertado o tratamento medicamentoso e psicoterápico, a associação do tratamento espiritual, sobretudo a magnetização e a desobsessão, nos dará a proporção do envolvimento espiritual. Casos em que há uma predominância do fator obsessivo-espiritual, a melhora com a magnetização e desobsessão chega a ser espetacular, trazendo novos horizontes para a Psiquiatria. Nos casos em que há a predominância anímica ou orgânica, a melhora está mais associada à transformação da pessoa ou seu estado orgânico de forma bem caracterizada. Julgamos importante que o médico e o psicólogo que acompanham casos nessa profundidade passem pelo processo de magnetização e desobsessão a fim de se desvencilhar de possíveis envolvimentos com as energias e os obsessores que acompanham o caso.

terça-feira, 20 de março de 2012

O Labirinto Portátil Manual

Tendo construido o Labirinto na Fazenda Arizona, comecei a reunir toda a pesquisa que tinha em mãos da Rev.Lauren Artress, decana da Grace Cathedral em S.Francisco para aplicar o que tinha aprendido com ela, no Labirinto daqui. 

No consultório, a primeira aproximação dos clientes com o Labirinto foi através de um modelo feito em cedro, feito por mulheres americanas ligadas a Grace Cathedral. Para uso particular e individual engendrei um Labirinto Portátil Manual, pintado em lona 10, fixado em um bastidor tamanho 16. Pintei o Labirinto de 11 voltas com pincel atômico a prova d´água para cada cliente e aluno. E os resultados começaram a aparecer...


 No verso do Labirinto de Cedro importado da Grace Cathedral lemos a seguinte inscrição:
The Willingness To Surrender In Trust And Openness Lead To A Peaceful Heart
Cedar
Listen to Your Heart
Labiyrinth
Created in USA by women
" Why Cedar"
In the realm of the natural essences, cedar is regarded as dignified, grounding and strengthening. We use to make this labirynth, because it is a conforting wood with natural beauty and aroma. We learned that it enhances focus and frees anxiety and scattered thougth.
May this labyrinth bless your life.
Grace Cathedral
*******************************************
A vontade de se render em confiança e abertura conduz a um coração pacífico
Labirinto
Escute seu coração
de Cedro

Criado nos EUA por mulheres
"Porquê Cedro"
No reino das essências naturais, o cedro é considerado dignificante, enraizador e fortaleciecor. Usamos o cedro para fazer este labirinto, porque é uma madeira confortadora com beleza e aroma natural. Aprendemos com o uso que ele aumenta o foco e libera ansiedade e pensamentos dispersos.
Que este labirinto abençoe sua vida.
Grace Cathedral

O que mais me impactou nesta inscrição foi a "chamada" à rendição, a confiança e a abertura.
Para mim estes são os três pilares da Meditação no Labirinto: rendição e confiança no Divino e abertura para receber do Divino.

Comecei a usar este Labirinto em meditações com clientes cegos que não podiam se beneficiar do Labirinto pintado a mão nos bastidores de lona, já que este em cedro foi feito sulcado na madeira, facilitando o percurso com os dedos sem necessidade da visão. Os primeiros resultados sobre o aumento do foco, concentração e equilíbrio foram além de satisfatórios. Mas o que mais me chamou atenção foi a possibilidade de relembranças curativas e transcendência de traumas que esta meditação possibilita.

O mesmo se deu com os "videntes" utilizando o Labirinto Portátil Manual de Lona. Memórias apagadas ou jamais lembradas começaram a vir a tona. Sentimentos rejeitados ou aprisionados eram liberados. Intuições nunca experimentadas se insinuavam à consciência. O reequilibrio se instaurava, a paz se instalava.

Com esses dados em mãos, dei início as Oficinas de Meditação no Labirinto na Fazenda Arizona, sem deixar de usar (é claro) no consultório o Labirinto Portátil Manual.
continua....

video

segunda-feira, 19 de março de 2012

Meditação em som e poesia

Meditação 
(Antonio Carlos Jobim & Newton Mendonça, 1958)

Quem acreditou
No amor, no sorriso, na flor
Então sonhou, sonhou
E perdeu a paz
O amor, o sorriso e a flor
Se transformam depressa demais


Quem no coração
Abrigou a tristeza de ver
Tudo isso se perder
E na solidão
Procurou um caminho e seguiu 
Já descrente de um dia feliz

Quem chorou, chorou
E tanto que seu pranto já secou


Quem depois voltou
Ao amor, ao sorriso e à flor
Então tudo encontrou
Pois a própria dor
Revelou o caminho do amor
E a tristeza acabou 



João Gilberto & Caetano Veloso em Buenos Aires, 2000

domingo, 11 de março de 2012

Como Meditar

Este texto foi composto com partes extraídas da Carta 8 do Livro Cartas de Cristo  da Almenara Editorial, (http://www.almenaraeditorial.com.br), com o objetivo de proporcionar uma informação rápida para aqueles que desejarem iniciar a meditação. 

A meditação deve ser – finalmente – tão simples quanto deslizar para o sono. O propósito da meditação é o de habilitar a sua consciência inteira a se mover para além das fronteiras do intelecto e da razão. (...)

Antes de começar a meditação, prepare-se compreendendo plenamente que está a ponto de fazer contato com a “CONSCIÊNCIA DIVINA” tanto em sua consciência quanto transcendendo-a – assim ELA está também ali fora e ao seu redor. Visualize exatamente o que significa isso.

Lembre-se, a todo momento, que você estará sintonizando aquilo em que PENSAR. Seus pensamentos são “raios de luz” fazendo contato com o que você busca. Lembre-se de que cada “pensamento” tem sua própria frequência vibratória na consciência. Acredite, saiba isso, porque isso é verdade. Quanto mais espiritual é o pensamento, mais altas são as frequências vibratórias. As “formas de Consciência” expressas em palavras não são visíveis, mas são “específicas entidades do ser”. Elas têm a vida da consciência dentro delas. São magnetizadas pelas “formas de consciência” semelhantes. Semelhante atrai semelhante. Pense “cachorro” e visualize o que isso significa e seus pensamentos são sintonizados com a espécie canina.

Pense “CONSCIÊNCIA UNIVERSAL” ou “VIDA DIVINA” com compreensão do que isso significa – e seus pensamentos serão dirigidos para a “CONSCIÊNCIA UNIVERSAL”“VIDA DIVINA”. (...) Em primeiro lugar, antes de tentar entrar em um estado meditativo, memorize a seguinte prece, de maneira que as palavras se tornem as suas próprias. Quando estiver perfeitamente relaxado, comece sua meditação com essa prece. Diga-a devagar e visualize o significado de cada palavra para ser capaz de entrar na consciência da palavra e permitir que a energia da consciência da palavra entre no mais profundo de seu ser. 
Enquanto diz esta prece, seus olhos devem estar fechados e seu olhar erguido em direção às sobrancelhas:


  “PAI – MÃE – VIDA, tu és minha vida, meu constante apoio, minha saúde, minha proteção, a perfeita satisfação de todas as minhas necessidades e minha mais alta inspiração. Peço que me reveles Tua verdadeira Realidade. Sei que é Tua VONTADE que eu seja plenamente iluminado/a e que eu possa receber melhor a consciência de Tua Presença em mim e ao redor de mim. Creio e sei que isso é possível. Creio que Tu me proteges e me guardas no perfeito AMOR. Sei que meu propósito final é TE EXPRESSAR. Quando falo contigo, sei que Tu estás perfeitamente receptivo para mim, pois Tu és a INTELIGÊNCIA AMOROSA UNIVERSAL que maravilhosamente concebeu este mundo e o tornou visível. Sei que quando Te peço para falar comigo, eu envio um raio de luz de consciência para a Tua Consciência Divina e que, quando eu escutar, TU entrarás em minha consciência humana e virás cada vez mais perto do meu espírito e meu coração mais e mais receptivos. Eu confio meu ser e minha vida aos Teus cuidados”. 


Cada vez que você disser e visualizar esta prece, criará uma forma de consciência espiritual que se tornará cada vez mais forte e mais elevada em frequências vibratórias, à medida que o verdadeiro significado da prece for se aprofundando em sua mente e no coração e suas percepções se elevarem.

Depois da oração, relaxe cada vez mais profundamente e deixe sua mente se esvaziar tanto quanto possível. Se pensamentos se intrometerem, recite suavemente “Vida – Divina” ou “pai – mãe – vida” para você mesmo e volte a aquietar a mente. Depois de muitos meses de sincera meditação, você talvez sinta que seu corpo de repente estremece como uma pessoa que está entrando no sono e subitamente acorda. Se isso ocorrer, seja grato, pois sua consciência está penetrando as barreiras das suas forças de consciência previamente criadas e que encapsulam sua alma.

Quando sentir que está entrando em um estado de consciência diferente, profundo, tão profundo que mal respira, saiba que você está começando a alcançar seu objetivo. Ao final da meditação sempre agradeça com alegria e reconhecimento.

Lembre-se de que nada do que possa pensar, dizer ou fazer, de modo algum pode reduzir tudo o que é a “consciência – pai – mãe – vida”. No entanto, qualquer descrença formará uma barreira entre você e o pai – mãe – vida.

Quero avisá-lo de que, quando você está tentando aquietar sua mente e seus pensamentos, pode ser que se sinta pouco à vontade, fisicamente desconfortável e mesmo angustiado. Isso é porque – a princípio – você se baterá contra o muro negro de sua própria “consciência” e isso pode ser extremamente desconcertante – inclusive doloroso. Abençoe a experiência e peça ao “pai vida” para entrar em sua consciência da próxima vez e você ouvirá. Depois se levante e deixe a experiência para trás.

Quando você observar que enfim está entrando no silêncio, descanse serenamente, sabendo que agora entrou no que se poderia chamar de “o santo dos santos”, pois finalmente está conseguindo conectar-se com “pai – mãe – vida” em você. Será necessário algum tempo para que essa experiência altamente espiritual de Silêncio torne-se uma rotina diária. Lembre-se de que você tem a bagagem egoica de toda uma vida para desfazer e dissolver.

Seja o que for que perceber ou sentir durante a meditação, quando sair dela espere sentir uma diferença em sua vida. Lembre-se de que a expectativa é uma forma de “consciência” e que tendo uma “expectativa” você estará abrindo o caminho para que o que “espera” seja atraído para a sua experiência, seja o que for de que esteja necessitando ou se ocupando. Se não sentir nenhuma nova leveza de espírito, apesar de suas sinceras expectativas, não negue as mudanças nem duvide da possibilidade de ocorrerem. Lembre-se de que sua consciência é eletromagnética, da mesma substância que seu corpo físico e que é a base de todas as experiências de sua vida. Continue esperando – enquanto você faz isso está construindo o poder, a energia de suas “expectativas – formas de consciência” que atrairão a manifestação de tudo o que você está esperando. A “Consciência – Pai – Mãe – Vida” só pode ser atraída para a sua consciência individual pela fé, pela sincera expectativa e pela disponibilidade para abrir-se à purificação do seu impulso magnético - emocional de “ligação – rejeição”.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Tolle e Walsh ~ Encontro entre homens notáveis!

Conheça a vida, obra, processo criativo e trabalho de Neil Donald Walsh, por ele mesmo, num encontro notável com Eckart Tolle. Dois luminares que na sua originalidade simplesmente brilham e nos ajudam a ver e encontrar o Caminho para Casa.

sexta-feira, 2 de março de 2012

No Silêncio da Cidade - A Meditação

O coração humano emite o campo eletromagnético mais forte em nosso corpo. Este campo eletromagnético envolve o corpo inteiro estendendo-se em todas as direções, e pode ser medido até vários metros fora do corpo.

A pesquisa do Instituto HeartMath mostra que toda informação emocional é codificada neste campo energético. Os pesquisadores HeartMath viram também que, quando nós
conscientemente nos concentramos em sentir uma emoção positiva - como cuidado, a valorização da compaixão, ou amor – esta informação codificada no nosso campo, tem um efeito benéfico sobre nossa própria saúde e bem-estar, e também pode ter um efeito positivo sobre aqueles que nos rodeiam.

Todos nós precisamos de um lugar seguro, onde nos sentimos aconchegados, acolhidos, em paz. Um lugar de quietude, tranqüilidade e amor onde possamos sentir e desenvolver a nossa própria essência, onde possamos reconhecer o nosso próprio Eu e acionarmos nossa rede energética em prol do nosso bem estar e de um bem maior. Um lugar que permite este acesso é o lugar/momento da meditação.

A meditação é o momento  que pode ser precedido por uma oração, em silêncio, geralmente sem movimentos físicos, em estado de relaxamento, calma e tranqüilidade em que focalizamos em que focalizamos em algo que nos conduz para o centro de nós mesmos, para a centelha que nos anima. O foco a princípio pode ser um mantra, a própria respiração ou uma variedade de técnicas relacionadas as diversas tradições espirituais existentes.

Na oração contemplativa, ou na meditação, buscamos tornar-nos a pessoa que somos chamados a ser – John Main.


LIVE ~ AO VIVO!

Você também vai gostar disso: